O décimo primeiro episódio de The Yakuza’s Guide to Babysitting oferece outra entrada e meia esta semana. A primeira metade é doce e sincera (na maior parte), enquanto a segunda metade é pesada e carregada de drama (na maior parte). Mas tudo vem junto em uma bela conclusão, proporcionando alívio para mim e tenho certeza que muitos outros.

Kirishima não entra no modo besta completo, pelo menos ainda não. O chefe da família Sakuragi chega para impedi-lo de tombar completamente, e isso lhe dá tempo para refletir e visitar Yaeka. É delicioso ver – esses são os momentos preciosos que fazem o show, afinal. Yaeka e Kirishima forjaram um vínculo significativo e, através desse vínculo, muitos em sua órbita também se tornaram mais próximos e mais entrelaçados na vida um do outro.

Mas Kirishima não conseguia abandonar completamente quem ele costumava ser. Velhos hábitos custam a morrer, e isso nos leva à sequência talvez mais interessante e desconcertante do episódio. Ele fica cara a cara com o vilão e coloca uma bala na cabeça dele… só que não. Era apenas uma projeção do que ele queria fazer, mas ele finalmente não conseguiu se obrigar a tomar essa ação e abandonar seu papel como zelador de Yaeka. Isso é ainda mais solidificado quando Kirishima e Yaeka se reúnem e Yaeka diz a ele que ele não pode simplesmente fugir de casa. Ele não é um executor e um zelador – ele é seu zelador total e completamente. É um momento especial.

Se há um ponto negativo para o episódio, é que não há muita configuração para o que acontece na próxima semana. Apesar da crescente tensão com o vilão ameaçando Yaeka, não temos muito o que fazer para o que vem a seguir além de “Algo vilão, aposto!” Isso parece uma escolha estranha para o final da temporada, mas o núcleo emocional estava lá, então é uma lavagem.

Classificação:

Grant é o co-anfitrião do Blade Licking Thieves podcast e Podcast Super Senpai.

The Yakuza’s Guide to Babysitting está atualmente sendo transmitido no Crunchyroll.

Categories: Anime News